Araraquarenses faturam títulos no motocross mestre da velocidade


Cartier måste 21
Mesdames Longines Montres
swiss Mekaniske bevægelser replika ure
longines horloges uk
ser online replika
Províncias

Excesso de velocidade no acidente de comboio

O excesso de velocidade esteve na base do acidente que causou o descarrilamento do comboio com combustível e cimento, ocorrido sábado no município de Camacupa, província do Bié.

Decorrem trabalhos para a remoção dos 14 vagões
Fotografia: Leonerdo Castr | Angop

A informação foi avançada ontem pelo vice-governador para a Área Técnica e Infra-estruturas, José Fernando Tchatuvela, que acompanha os trabalhos dos técnicos que trabalham no local para a remoção dos 14 vagões que a locomotiva transportava, com gasóleo e gasolina refinados, e recuperação da linha férrea, interdita desde o dia do acidente.
José Fernando Tchatuvela disse ter faltado cautela por parte do maquinista em serviço ao  aproximar-se de uma curva perigosa, perto da aldeia de Santo Biangue.
O vice-governador pediu mais responsabilidade por parte de todos os condutores rodoviários e maquinistas ferroviários de forma a evitar acidentes e salvaguardar vidas humanas e mercadorias.
Para a recuperação da linha férrea, José Fernando Tchatuvela informou que já estão no local gruas e outros equipamentos que vão acelerar a conclusão dos trabalhos para abertura da circulação ferroviária no troço Cuito-Luena, antes de duas semanas inicialmente previstas.     
José Fernando Chatuvela informou  que estão fora de perigo  os dois técnicos dos Caminhos-de-Ferro de Benguela, bem como os dois oficiais da Polícia Nacional que acompanhavam a locomotiva e tiveram ferimentos ligeiros. “Eles foram prontamente atendidos no hospital local de Camacupa e estão completamente fora de perigo”, assegurou o vice-governador.
O descarrilamento do comboio ocorreu numa área desabitada e de difícil acesso. Para evitar  outros transtornos, as autoridades policiais e de protecção civil montaram um perímetro de segurança no local, onde também está um equipa da Sonangol para avaliar os danos e orientar o início das operações de transferência dos combustíveis para camiões-cisternas.
Com esta acção,  a Sonangol pretende iniciar o mais depressa possível o transporte rodoviário de combustíveis, a fim de reduzir ao mínimo os inconvenientes que possam advir para os consumidores da província do Moxico. Grande parte do combustível para as províncias do Bié e Moxico é transportada pelos comboios do CFB. No ano passado foram transportados entre a província sede da empresa ferroviária e as regiões do Huambo, Bié e Moxico, 47.563 toneladas de mercadorias diversas e um total de 365.175 passageiros, um aumento de 77 mil pessoas em relação ao ano anterior.
Fruto destes serviços, a empresa arrecadou mais de 629 milhões de kwanzas, mais 35 milhões em comparação com o período anterior, com a realização de 285 circulações.
Mais de dois milhões de passageiros e 95 mil toneladas de mercadorias diversas, com destaque para combustíveis, gás, material de construção, bebidas e madeira, foram transportados pelos comboios do Caminho-de-Ferro de Benguela, desde o reinício da circulação, em Agosto de 2011, até Maio deste ano. Os benefícios do comboio para as populações do centro e leste do país são visíveis na circulação de pessoas e bens da cidade para o campo e vice-versa e na importação de produtos pelos empresários locais, provocando a baixa dos preços dos principais produtos.

Últimas

  • Lubango sem orçamento para saneamento básico
  • Docentes de francês em acção formativa
  • José Maria defende contenção das construções desordenadas
  • Camponeses da região auguram boa colheita
  • Município de Quilengues projecta relançamento socioeconómico
  • Uíge necessita de cinco mil professores para vários níveis
Jornal Luanda

Edição impressa

Subscrever versão impressa Suplementos Downloand pdf

Artigos

  • Citações

  • Citações

  • Citações

Tempo

Palavra do Director

  • Caminhos movediços

  • Um falso problema

  • Até sempre, camaradas

Multimédia

Políticaver mais

  • Cibercrime no Código Penal
  • Ministra avalia projecto na província do Uíge
  • Ministro quer gestão participativa

Provínciasver mais

  • Lubango sem orçamento para saneamento básico
  • Docentes de francês em acção formativa
  • José Maria defende contenção das construções desordenadas

Mundover mais

  • Exército garante força para manter a ordem
  • Uhuru Kenyatta empossado amanhã
  • Naufrágios matam mais de 30 migrantes

Economiaver mais

  • Acordo junta chineses e portugueses em obras
  • Capital estrangeiro estimula a economia
  • Sonangol escolhe parceiro para uma nova refinaria

Sociedadever mais

  • SIC apresenta novas provas
  • Tribunal provincial retoma julgamento
  • Huambo com menos casos de desastres rodoviários

Culturaver mais

  • Carlitos Vieira Dias encerra temporada do
  • 1º de Agosto promove bons hábitos de leitura
  • “As Cores da Serpente” em estreia na Bahia

Desportover mais

  • Federação procura fora substituto de Bianchi
  • TP Mazembe conserva título da Confederação em Lubumbashi
  • Temporada do ciclismo termina com passeata

Opiniãover mais

  • Citações
  • Citações
  • Citações

terça-feira, 16 de setembro de 2014

Projeto semana da criança


Introdução


Brincar tem uma importância absurda nos processos de desenvolvimento humano. As brincadeiras de infância são o reflexo dos desafios da vida adulta. Os benefícios da brincadeira, sobretudo na vida da criança, são gigantescos e, em sua maioria, desconhecidos pela sociedade.

É de conhecimento de poucos que a brincadeira é o exercício físico mais completo de todos e é através dela que agregamos valores e virtudes à nossa vida.

Hoje em dia, um número enorme de crianças estão perdendo a infância na frente de computadores e vídeo-games. Em meio a esta realidade o Colégio Ávalon tendo consciência dos benefícios da brincadeira à saúde física e ao desenvolvimento mental da criança. Decidiu realizar a Semana da Criança lembrando que o brincar é um momento sagrado. É através das brincadeiras que as crianças ampliam os conhecimentos sobre si, sobre o mundo e sobre tudo que está ao seu redor. Elas manipulam e exploram os objetos, comunicam-se com outras crianças e adultos, desenvolvem suas múltiplas linguagens, organizam seus pensamentos, descobrem regras, tomam decisões, compreendem limites e desenvolvem a socialização e a integração com o grupo. E todo esse aprendizado prepara as crianças para o futuro, onde terão de enfrentar desafios semelhantes às brincadeiras.

 

Não podemos esquecer do quão importante é que os adolescentes e adultos também brinquem, afinal, todos nós temos uma criança dentro da gente e não podemos esquecer que Brincar é o exercício mais completo de todos.

 

OBJETIVO GERAL

 Identificar a importância do brincar para o desenvolvimento psicológico e intelectual das crianças.

 

OBJETIVOS ESPECIFÍCOS

· Proporciona oportunidades de perceber distâncias, desenvolver noções de velocidade, duração, tempo, força, altura, além da geometria com suas noções de posição no espaço, de direção e sentido, discriminação visual, memória visual e formas geométricas.

· Desenvolvimento do pensamento lógico-matemático atraves das relações espaço-temporais

· Desenvolve a habilidade para resolver problemas, relações temporais, espaciais e numéricas e a avaliação de distância e velocidade – todas essas noções estão relacionadas a noções de números, medidas.

· Estimular os movimentos, proporcionar momentos de contagem e controle de números de bolinhas.

 

...::: BRINCADEIRAS AO AR LIVRE :::...

 

 

1) ALONGAMENTO E AQUECIMENTO

Reserve 10 minutos para praticar exercícios de alongamento e aquecimento com a sua equipe. É muito importante!

 

2) DESAFIOS

O mestre irá propor desafios para cada equipe. A equipe que completar primeiro, vence.

 

3) CORRIDA DA VASSOURA

Correm um representante de cada equipe nessa corrida só de ida. O objetivo é equilibrar uma vassoura na palma da mão enquanto correm. Se a vassoura cair antes da linha de chegada, o corredor volta ao início e começa tudo outra vez. Ganha quem cumprir a tarefa corretamente primeiro.

 

4) PETECA

Determina-se um espaço, dividido ao meio por um traço. Cada jogador se locomove por todo o espaço, até a linha divisória, na tentativa de rebater a peteca para o outro lado. Se ela cair no seu próprio lado, o adversário marca um ponto; se sair do espaço delimitado é considerado "fora" e não há penalidades para nenhum dos dois. Pode-se determinar um número de pontos e quem o atingir será o vencedor, enquanto o perdedor cederá a vez a outro participante. A peteca pode ser qualquer coisa que tenha mais ou menos o mesmo formato e pode ser feita com papel.

 

5) PEGA-PEGA

Brincadeira de corrida cujo objetivo é tocar em alguém para transformá-lo em pegador. Quem for pego, pega.

 

6) PIQUE-VOLTA

Espécie de pega-pega, brincado em um espaço muito amplo e que tenha paredes nas duas extremidades. Quem for pego, deverá pegar a pessoa que lhe pegou antes que ela corra e toque no muro. Se o participante conseguir tocar no muro antes de ser pego, ele é quem pega, o que fará com que o pegador se transforme em vítima. Mas se ele for pego, deverá pegar quem lhe pegou antes que ele toque no muro e vire pegador. Vence quem tocar no muro mais vezes.

 

7) PULA-SAPO

Corrida de duplas de ida e volta. Cada um deve saltar sobre as costas do parceiro e, com um sapo, cruzar a chegada. Na ida, vai de frente. Na volta, vem de costas, ou seja, não vale virar. Se errar, continua da onde parou. Ganha quem voltar primeiro.

                                                         

8) BAMBOLÊ DE GUERRA

Jogam uma dupla de cada equipe. As duplas entrarão em um bambolê e ficarão de costas para a outra, pois correrão de frente. Serão feitos dois riscos, cada um a exatos 2 metros de cada lado do bambolê. O Objetivo é correr e fazer força para ultrapassar a linha, mas será difícil, pois a outra dupla irá fazer o mesmo. A dupla que conseguir ultrapassar o risco, vence.

 

9) TRÊS PASSARÁS

Primeiro temos que escolher dois participantes que serão a ponte, dando as mãos um para o outro. Sem que o restante da turma saiba eles decidem quem será pêra ou maçã. Os demais fazem uma fila que passará por debaixo da ponte. A dupla que é a ponte juntam suas mãos e as levantam, formando a ponte. Aí, a dupla canta: "Três, Três Passarás, derradeiro ficarás. Bom barqueiro, bom barqueiro, dê licença pra eu passar". Quando quase todos já tiverem passado por debaixo da ponte, a dupla prende seus braços na cintura do último da fila e perguntam baixinho sem que os outros ouçam: - Você quer pêra ou maçã? O Participante escolhe e vai para trás de quem representa a fruta que ele escolheu. No final ganha o participante que tiver mais gente atrás, ou seja, a fruta mais escolhida.

 

10) PASSA BOLA

Os jogadores formam uma roda e, quando a música estiver tocando, passarão a bola de mão em mão. A música é "Lá vai a bola, passando na roda, quem ficar com a bola na mão, cai fora!". Quem tiver segurando a bola no "fora", é eliminado e a brincadeira prossegue até sobrarem apenas dois, da onde sairá o campeão.

 

11) ESTÁTUA

Os jogadores formam uma roda e, rodando, cantam a música: "O Circo pegou fogo, palhaço deu sinal, acuda, acuda, acuda a bandeira nacional, Brasil, 2000, se buliu, saiu!". No "saiu", os jogadores têm 5 segundos para escolherem a melhor posição para ficarem estátuas. O mestre começa a provocar e, quem se mexer, sai. Ganha quem for mais resistente, que será o próximo mestre.

 

12) GELINHO

É um congelado, mas quem for pego, além de ficar parado, deverá abrir as pernas. Ele só poderá ser descongelado depois que alguém passar por debaixo de suas pernas três vezes.

 

13) BOCA DE FORNO

Brincam: um mestre e os demais participantes. O diálogo é assim:

MESTRE: "Boca de forno"

DEMAIS: "Forno é"

MESTRE: "Vão fazer tudo que o mestre mandar?"

DEMAIS: "Vamos"

MESTRE: "E se não fizer?"

DEMAIS: "Leva bolo"

Aí, o mestre manda os participantes buscarem algo. Quem trouxer primeiro, será o novo mestre, os demais, levarão palmadas. E assim por diante...

 

14) BOBINHO

É uma brincadeira de bola. Os jogadores vão jogando a bola um para o outro, e o objetivo do bobinho é roubar a bola. Se conseguir, quem chutou a bola pela última vez será o novo bobinho. Pode ser brincado com os pés ou com as mãos.

 

15) BATE E CORRE

Os participantes formam uma roda e um jogador iniciará a brincadeira. Ao sinal de início, o jogador separado põe-se a correr em volta da roda, devendo bater inesperadamente no ombro de um colega. Este sai no seu encalço, enquanto o outro continua a correr em torno da roda para tentar ocupar o lugar, agora vago no círculo, antes de ser apanhado. Se conseguir, o corredor desafiado reinicia a brincadeira indo tocar outro. No caso contrário, o alcançado vai para o centro da roda. Lá fica até outro cometer erro semelhante ao seu, trocando de lugar com ele.

 

16) BOLA QUENTE

Jogam duas equipes iguais. Os componentes de cada equipe deverão estar lado a lado, fazendo com que as equipes fiquem frente a frente. Os participantes estarão com as pernas esticadas para frente e com os braços para trás, apoiados no chão. Uma bola será colocada sobre as pernas dos primeiros jogadores de cada equipe. Ao sinal do mestre, deverão passar a bola, sem o auxílio das mãos. A bola tem que ir até o último da coluna e voltar até quem iniciou a atividade, passando pelas pernas de todos os alunos. A equipe que completar a tarefa primeiro, vence a prova.

 

17) CABRA CEGA

Um grupo dá as mãos e forma uma roda. Escolhe-se a cabra cega, que ficará no centro da roda. A cabra cega tem seus olhos vendados e uma pessoa a rodará 25 vezes, fazendo com que ela fique zonza. A função da cabra cega é pegar uma pessoa da roda, que estará em movimento. Lembrando que em nenhum momento os componentes da roda podem soltar as mãos. A pessoa que foi tocada pela cabra cega é obrigada a deixar que a cabra cega apalpe seu corpo todo. Se a cabra cega errar, continua a brincadeira. Quem for descoberto, é a nova cabra cega.

 

18) GATO MIA

Escolham um jogador para ser o pegador. Ele deve ter os olhos vendados.  O pegador conta até dez enquanto os outros jogadores se afastam dele. Não vale correr. Depois de contar até dez, o pegador sai à procura dos outros. Quando pegar alguém, ele diz gato mia! A pessoa que foi pega tem que miar. Se o pegador acertar quem é, a pessoa vira o próximo pegador. Senão, continua tentando...

 

19) ENGANOBOL

Os jogadores, de pé e com os braços cruzados, formarão um círculo. Um ocupará o centro e terá a bola. Este atirará ou fingirá atirar a bola para um companheiro, que deverá apanhá-la; mas não descruzará os braços se for enganado. Aquele que deixar a bola cair ou descruzar os braços quando for enganado, será eliminado. Se tudo der certo, quem pegou a bola é o próximo a fazer.

 

20) IMITAÇÃO

Os participantes ocuparão um espaço e, na frente deles, ficará o mestre. O mestre começará a dançar e a fazer movimentos e posições, que deverão ser imitados pelos jogadores. Depois de 2 minutos, o mestre avalia o resultado e escolhe o que melhor se saiu na imitação. Este o substituirá e continuará com a brincadeira.

 

21) ADIVINHE QUEM É

Os participantes ocuparão um espaço e, na frente deles, ficará o mestre. O objetivo do mestre é escolher alguém do grupo para imitar. Os participantes começarão a interagir com o mestre (já incorporado), fazendo perguntas, convites e conversando. Depois de 3 minutos de interação, cada participante terá direito a um palpite. Se ninguém acertar, o mestre revela quem é. Este será o novo mestre. Porém, se alguém acertar, este será o novo mestre.

 

22) BARRA-MANTEIGA

Jogam duas equipes. Cada equipe tem seu campo. Os campos são separados por um espaço vazio de 8 metros. Alternadamente, os jogadores vão até o lado adversário. Todos devem estar com as palmas das mãos viradas para cima. O jogador bate com a palma de sua mão numa das mãos e corre para o seu lado. Quem receber o toque, imediatamente corre atrás e tenta pegar o adversário, se conseguir, este passa a ser da equipe que o apanhou, e o jogador que o pegou faz a mesma coisa no grupo contrário. A equipe que conseguir agarrar mais do outro grupo é a vencedora.

 

23) ESTOURA-BEXIGA

Jogam duas equipes. Os participantes de cada equipe deverão ficar em fila, cada um deverá ter uma bexiga cheia. A 10 metros de cada fila, haverá um ajudante, que estará sentado. Ao sinal, o primeiro de cada coluna deve correr segurando o balão até a cadeira e estourar o balão sentando em cima do respectivo ajudante. Depois, volta para a sua coluna, dando a vez para o próximo participante que repetirá a ação e assim por diante até estourar todos os balões. A equipe que completar a tarefa primeiro ganha.

 

 

24) MAMÃE, POSSO IR?

Alguém é sorteado para ser a mãe ou o pai. O escolhido coloca-se num certo ponto ― de chegada ― com os olhos fechados, dando as costas para os demais participantes, distanciados alguns metros, em coluna. Ocorre então o diálogo:
― Mamãe (ou papai), posso ir?
― Pode.
― Quantos passos?
― Dois, de canguru.
A criança dá dois passos pulando como um canguru. A brincadeira continua com a mãe sugerindo vários bichos: formiga, quando serão dados passos pequenos; caranguejo, o passo será dado para trás, de costas; e outros. Cada bicho deve ser imitado. O término da brincadeira se dá quando uma criança consegue chegar ao local onde está colocada a mãe, tomando o seu lugar.  

 

25) CABO DE GUERRA

Para brincar de "cabo-de-guerra", vocês precisarão de uma corda. Primeiro, escolham um espaço e tracem uma linha no chão para dividi-lo ao meio. As crianças devem ser separadas em dois times, sendo que cada time fica com um lado do espaço. Os participantes ficam em fila e todos seguram na corda. Posicionem a corda conforme o desenho ao lado. Alguém de fora dos grupos dá um sinal para começar a partida. Ele será também o juiz que fiscalizará o jogo de forças. Os participantes devem puxar a corda, até que uma das equipes ultrapasse a linha no chão. Serão vencedores aqueles que puxarem toda a equipe adversária para o seu espaço.

 

Filmes – Será passado para as crianças o filme “Diário de um Banana”. Será reforçado com as crianças alguns valores como o de falar a verdade, a importância da amizade e os valores morais.

 

 

 Cronograma

 

Segunda – gincanas no pátio

 

Terça – filme

 

Quarta- aula de arte exposição sobre Romero Britto

Realizaremos uma exposição com releitura do autor em papel pardo .

 Quinta – dança e encontro das avós

Músicas pedagógicas – Carrossel, Turma do Balão Mágico, Xuxa, Patati e Patatá.

Sexta – Piscina de bolinha, pula- pula e Piscina de bolinha.

 

Plano B

Terça, Quinta e sexta – Piscina

 

Culminância

Será realizado o encerramento na sexta- feira com apresentação dos trabalhos, brincadeiras livres e um lanche coletivo.

 Avaliação

A avaliação é um processo continuo que deve iniciar no primeiro dia de aula e prosseguir durante todas as atividades do ano letivo, dentro e fora da sala de aula. Nesta semana teremos com o objetivo reforças as brincadeiras e o coletivo.

 

 
Postagem mais recente Postagem mais antiga Página inicial